25 de março – Dia de Independência de Belarús

Em que dia os belarussos comemoram a independência?

Que dia deveriam comemorar?

O dia de independência oficial, atualmente, é 3 de julho, comemorado assim, porque nessa data, em 1944, Minsk, a capital belarussa, foi liberada da ocupação nazista. Nesse dia, todo ano, acontece uma parada organizada pelo governo.

Talvez, mais lógico fosse comemorar 27 de julho, pois nesse dia, em 1990, foi declarada independência da atual República Belarús da antiga União Soviética. Infelizmente, esse dia não tem uma tradição de comemoração.

Existe mais um dia, sobre qual estou escrevendo agora. Dia 25 de março, “Дзень волі” (Dzień Voli), Dia de independência ou, literalmente, dia da liberdade, sempre marcado por uma manifestação não-oficial.

independencia_belarus_01

“Dia de independência. 25 de março” Foto de Volha Kuzmič

 

Por que 25 de março?

Em 1918, em plena Primeira guerra mundial, Belarús estava ocupado pelo exército alemão. Aliás, no dia 9 de março de 1918 foi criada a República Popular Belarussa (Беларуская Народная Рэспубліка), e no dia 25 de março a sua independência. A nova República uniu todas as terras consideradas etnicamente belarussas, então o tamanho dela era maior que o da atual República Belarús.

Mapa que mostra os limites da República Popular Belarussa em 1918 (verde)  e da atual República Belarús (vermelho). Fonte: Francis_maks.livejournal.com

Mapa que mostra os limites da República Popular Belarussa em 1918 (verde)
e da atual República Belarús (vermelho). Fonte: Francis_maks.livejournal.com

Os símbolos oficiais da República Popular Belarussa eram a bandeira branca-vermelha-branca e o brasão de armas Pahônia (Пагоня). O país tinha a própria constituição e declarou a língua belarussa como oficial. O órgão supremo do governo era o Conselho (Рада) da República Popular Belarussa.

A República popular Belarussa foi logo reconhecida internacionalmente, por países como Ucrânia, Lituânia, Letônia, Estônia, Tchecoslováquia e Finlândia. Além disso, de fato, ela mantinha relações diplomáticas com a Alemanha, Bulgária, Turquia e Polônia.

É curioso que muitos países próximos a Belarús, como Lituânia, Letônia, Polônia, Estônia, também contam sua independência desde 1918.

 

“Viva República Popular Belarussa!” Cartão postal de 1918 que comemora a declaração de independência de 25 de março.

“Viva República Popular Belarussa!”
Cartão postal de 1918 que comemora a declaração de independência de 25 de março.

 

Por quanto tempo existiu a República Popular Belarussa?

Infelizmente, esse país não existiu por muito tempo. Depois da ocupação soviética e polonesa, em 1919, o governo da república teve que imigrar e continua sua atuação no exterior até hoje. O Conselho preserva o acervo da República Popular Belarussa, mantem relações com imigrantes de Belarús e faz pronunciamentos sobre a situação política no país.

O Conselho da República Popular Belarussa é o governo em exílio mais antigo do mundo. É interessante que a Presidente do Conselho hoje é uma mulher, Ivonka Survila, enquanto na própria Belarús até agora nunca teve mulher na presidência.

Manifestação no Dia de independência 25 de março, em Minsk, em 1996.  Foto de Hieorhi Lichtarovič

Manifestação no Dia de independência 25 de março, em Minsk, em 1996.
Foto de Hieorhi Lichtarovič

Quando acabou a União Soviética, teve uma iniciativa do Conselho da República Popular Belarussa para passar simbolicamente o poder para o governo da República Belarús. Mas isso não foi feito, pois o presidente Lukashenko, que foi eleito em 1994, logo virou um ditador e ainda em 1995 alterou os símbolos oficiais do país que antes coincidiam com os da República Popular Belarussa, pelos símbolos que descendem da República Socialista Soviética Bielorrussa, com algumas mudanças.

Mesmo considerando que a República Popular Belarussa só durou alguns meses, o papel dela na história de Belarús é extremamente importante. A existência de um país belarusso fez com que os soviéticos aceitassem que existiu um povo belarusso e formaram dentro da União Soviética uma República Socialista Soviética Bielorrussa, sem qual, quando a URSS acabou, não iria surgir a atual República Belarús.

Como se comemora o dia 25 de março?

Manifestação no Dia de independência de 25 de março, em Minsk, em 2014.  Fonte: svaboda.org

Manifestação no Dia de independência de 25 de março, em Minsk, em 2014.
Fonte: svaboda.org

Mesmo não sendo declarado um feriado oficial, o dia 25 de março se comemora todo ano com manifestações pacíficas, principalmente na capital, em Minsk, e, às vezes, em outras cidades do país.

As manifestações em geral são organizadas por partidos da oposição e são permitidas pelo governo. Mas mesmo assim, muitas vezes os ativistas políticos terminam sendo levados para delegacia e multados ou presos por alguns dias, por causa da organização ou participação do evento.

Normalmente, as pessoas se juntam e andam por uma das ruas da cidade, segurando bandeiras nacionais (oficiais da República Popular

Manifestação no Dia de independência de 25 de março, em Minsk, em 2014.  Fonte: www.pyx.by

Manifestação no Dia de independência de 25 de março, em Minsk, em 2014.
Fonte: www.pyx.by

Belarussa – brancas-vermelhas-brancas), vestidos de branco e vermelho, levando flores (em geral, das mesmas cores), às vezes, segurando cartazes com brasão nacional “Pahônia”, lemas “Viva Belarús!” e “25 de março é o dia de independência”.

Frequentemente são também usados cartazes com imagens dos prisioneiros políticos, informações sobre falsificações das eleições recentes, ou, como foi no ano passado, bandeiras ucranianas, em solidariedade com o país vizinho.

 

 

 

 


volhaEste artigo foi escrito por Volha Yermalayeva Franco.
Belarussa. Mora em Salvador. Professora de belarusso, russo, inglês e português para estrangeiros. Co-autora do livro didático de português para falantes de russo “Португальский шутя. 250 бразильских анекдотов” (“Aprenda português brincando. 250 piadas brasileiras”). Cantou na banda folclórica belarussa “Guda”. Ministrou oficina de vytsinanka, arte tradicional belarussa de papel recortado, no Museu de Arte Moderna da Bahia. Formada em Patrimônio Cultural e Turismo pela Universidade Europeia de Ciências Humanas, em Vilnius, Lituânia. Mestranda em Conservação e Restauro pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia. Trabalha com tradução e legendagem de filmes soviéticos, belarussos e russos. Escreve sobre Belarús, sua cultura e patrimônio.

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Snizhana Maznova
Snizhana Maznova

Estou no Brasil a partir de 2006 e sinceramente posso dizer que adoro esse país com sua cultura tão rica e povo tão simpático. Meu pai é russo e minha mãe ucraniana com raízes da Polônia e Grécia. Até terminar época soviética vivi viajando entre Rússia e Ucrânia e considero os dois países como minha pátria. Além ministrar cursos de idiomas, trabalho como tradutora de russo e ucraniano. Atuo também como intérprete em reuniões entre brasileiros e pessoas da Rússia e Ucrânia, na área turística e viagens de negócio, e assistência para estrangeiros na abertura de empresa no Brasil e pesquisa no mercado etc.