Matérias estranhas na escola na Rússia

A educação nas escolas na Rússia, Ucrânia e Belarus é diferente em muitos aspectos comparando com os outros países. O que para o povo post-soviético parece ser normal, muitas vezes, pode ser chocante para alguns estrangeiros. Aqui estão 8 fatos que confirmam isto:

1. A maioria das escolas na Rússia são públicas. A qualidade do ensino nessas escolas é muito alta. Devido a isso, existem muito poucas escolas particulares: em 1100 cidades, existem apenas a 550.
2. Na Rússia, os alunos estudam na escola 9 ou 11 anos. 9 anos é ensino médio incompleto, 11 anos é completo. A maioria dos russos saem da escola depois da 9a série e depois fazem um curso técnico. Com ensino médio completo tem direito de prestar vestibular para faculdade.
3. A maioria que estuda na faculdade começa com 16-17 anos. Não tem cursinho antes do vestibular. O aluno formado na escola já está pronto para vestibular. Depende da matérias e situação financeira da família ele pode pagar um репетитор (pyepyetítar) que é o professor particular para repetir determinada matéria. Na época soviética podia entrar na faculdade só até 39 anos. Depois essa regra foi cancelada.
4. Nas escolas, na Rússia, há uma disciplina obrigatória que se chama урок труда (urók trudá) – aula de trabalho. As meninas aprendem a cozinhar e costurar, enquanto os meninos são treinados para trabalhar com madeira e metal, fazendo modelos de aviões e carros.

Uma vez por ano os meninos e as meninas trocam suas salas para algumas aulas invertidas.
5. A aula de educação física nas escolas na Rússia não é apenas uma chance de relaxar, correr ou jogar futebol. Os alunos são obrigados a passar por regulamentos e provas com notas. Por exemplo, um rapaz de 16 anos de idade deve correr 3 km até no máximo em 14 minutos. Tem muitas provas com notas: corrida de 100m, flexão, exercícios nós aparelhos etc.
Também na educação física os alunos têm aulas de esqui e ginástica. O aparelho na foto se chama козёл (kazyól) – o bode. Quando eu era criança tinha maior medo de saltar através disto.
6. Todos os meninos  que não tem problemas com saúde com apenas 15 anos de idade, são obrigados a realizar treinamento militar no espaço militar mesmo. Lá eles aprendem as noções básicas de sobrevivência em condições extremas e estão correndo por aí com… máscaras de gás.
Além disso os meninos aprendem como desmontar e montar Kalashnikov com tempo determinado.
Enquanto disso, na escola, as meninas têm prática como cuidar o ferido e aprendem a teoria como levar ferido do campo de batalha, fazer evacuação e qual equipamento precisa no caso de incêndio, ataque de gás etc.
As meninas não aprendem desmontar e montar arma, mas na aula de educação física junto com os meninos aprendem como jogar granada e até tem prova com nota que avalia distância e técnica.
7. No verão, que é junho, julho e agosto, todos os alunos têm férias de três meses. Mas duas semanas destes três meses eles são obrigados a trabalhar na escola. Limpar o edifício, território ao redor ou plantar flores perto da escola. As crianças do interior, muitas vezes, trabalham nas plantações. É ilegal, mas muitas escolas praticam isto.
8. Na época soviética tinha algumas aulas que depois foram canceladas. Uma delas политинформация (palitinfarmatsêya) – informação política. Os alunos começavam a ter essa aula a partir de 8 anos e preparavam um artigo do jornal sobre assunto político para apresentar perante colegas da classe. Os alunos maiores tinham aula de história de comunismo.
Podemos ver que o sistema de educação nas escolas post-soviéticas ainda leva eco da segunda guerra mundial que começou inesperado para governo soviético e o povo não foi preparado. O sofrimento durante guerra e para reconstruir país depois disso causou surgimento do sistema de educação para preparar povo desde infância, criar uma sociedade psicologicamente e fisicamente resistente para qualquer desastres e situações instáveis.

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Andrei Tarasov
Andrei Tarasov

Nasceu em 1989 na cidade de Izhevsk, Rússia. Desde os 17 anos trabalhou no jornal local de sua cidade e aos 19 anos mudou-se para viver em Moscou, e passou 6 anos na televisão trabalhando como repórter e redator. Mora no Rio de Janeiro desde 2014. Ama aviões, gatos, e claro, jornalismo.

  • Mariana Cunha

    Mas isso funciona realmente em todas as escolas? Fiquei espantada com as atividades hierarquizadas e as armas, e as meninas aprendendo essas coisas” de dona de casa”. Quando a minha mãe estava na escola, algumas escolas tinham uma matéria chamada “educação para o lar”, o que hoje em dia é considerado algo muito retrógrado

    Até onde eu estudei, no início da União Soviética, havia uma espécie de “proposta” de igualdade, sei que houveram atiradoras na guerra como a Roza Shanina, e a Lyudmila Pavlichenko, a piloto Lydia Litvyak. Esse tipo de ideia não “pegou” por lá? Leio que hoje as coisas ainda são bem hierarquizadas, como já li em outros posts por aqui.

    • Na época soviética tinha igualdade, mas as crianças tinham que aprender de se virar porque a partir de 6 anos chegamos em casa depois da escola, esquentamos comida sem microonda, grande maioria sabia arrumar roupa própria, ou seja costurar botão, lavar pelo menos coisas básicas na mão. Então a questão de ser igual com homem você escolher depois das 16 anos, quando recebe passaporte e provavelmente vai sozinha estudar em outra cidade. Mas até lá precisa se virar, e na faculdade também precisa se virar. Então sem essas aulas ia ser impossível. Também tinham escolas de verão onde não tinha lição, somente atividades. Então as crianças ficaram por um mês sem os pais. E com questão de igualdade não tinha tias que vão servir. Somente cozinheiras. O resto era tudo por conta das crianças que tudo faziam sozinhas. Na verdade tudo foi muito legal e agora cada um consegue se virar em qualquer situação.

      • Fabricia Miyabara

        Achei semelhante ao sistema de educação no Japão. Meu filho estuda aqui, e tirando as atividades militares o resto segue bem parecido.
        As crianças são preparadas para situações que vão enfrentar na vida, aprendem a se virar e trabalhar em coletividade.
        As aulas de culinária, costura, marcenaria, agricultura são para todos.
        Mas não posso dizer que isso reflete de uma sociedade que não discrimina gêneros.
        São países que já passaram por muita coisa (guerras e catástrofes naturais) e aprenderam que educar desde a infância tornam pessoas mais aptas a lidar em situações extremas.
        Por fim, eu acho que é uma oportunidade maravilhosa meu filho ter na escola a chance de aprender mais que apenas disciplinas básicas.

  • Hugues

    Muito interessante! Por isso a Rússia é tão resistente

  • Bruna Benevenutti

    Nas universidades os cursos têm a mesma duração que no Brasil, como 4 ou 5 anos?
    No Brasil o vestibular para todos os cursos tem a mesma prova, seja para direito, música ou medicina, vc tem que passar pela mesma prova com todas as matérias que estudou na escola. Lá é assim também? Ou tem provas diferentes para determinados cursos?

    • Olá Bruna. Normalmente sim, são as matérias da escola. São idioma russa. matemática, história, geografia, biologia, depende da especialização química, física idioma estrangeira.
      Maioria das faculdades é 4 anos bacharel e 5 mestrado. As faculdades de medicina já tem prazo maior.