Praça Vermelha

Praça Vermelha é o coração de Moscou. Todos os dias a praça recebe cerca de 25 mil pessoas. Nos fins de semana e feriados cerca de 35 mil! Hoje, também visitaremos a Praça Vermelha, só que virtualmente.

Quilómetro zero (Нулевой километр)

Esta placa memorial está localizada na parte direita na entrada da Praça. Se na Rússia você ver uma placa, por exemplo: “Moscou à 18 quilômetros”, isso significa que essa distância é de lá até essa placa.

quilometro zero

 

Portão de Voskresenskie (Воскресенские ворота)

O portão de entrada para a Praça Vermelha.

portao

 

GUM (ГУМ)

gum 1

Este é um grande centro comercial em frente ao Kremlin. É lógico que os preços não são baixos por lá. Mas se você tiver sorte, no shopping você pode encontrar produtos de qualidade com grandes descontos.

gum 2

 

Cantina 57 (Столовая 57)

cantina 1

Esta cantina está localizada no terceiro andar do shopping. Considera-se que a cantina funciona aqui desde época da USSR. Nas paredes, estão pendurados os cartazes de propaganda soviética, e o cardápio não mudou ao longo dos anos.

cantina 2

Não se esqueça de experimentar a salada de Arenque sob um casaco de pele (“Сельдь под шубой” (syelydy pat chúbay)  – é uma salada russa tradicional de peixe salgado, legumes e maionese), сompota de frutas ou limonada soviética. Na cantina os preços são baixos.

cantina 3

cantina 4

 

Praça Vermelha (Красная площадь)

praca 1

Por que a Praça Vermelha сhama-se vermelha? Existem muitas versões. Alguns dizem que a praça chama-se vermelha em homenagem da bandeira soviética. Outros dizem que a razão é em bancas de negociação vermelhas que estavam na Praça antes…

praca 2

… Mas existe outra versão mais popular. A praça vermelha é um dos lugares mais bonitos na Rússia. As linguistas acreditam que a cor “vermelha” (“красный”)  é formado a partir da palavra “linda” (“красивый”). Então a Praça Vermelha é a Praça Linda.

 

Museu histórico (Исторический музей)

Este museu conta sobre a história da Rússia deste os tempos antigos até o século 20. O museu apresenta mais de 22 mil artigos! Se for gastar cerca de um minuto em cada exposição você vai precisar estar lá por mais do que 360 horas; cerca de 15 dias.

museu historico

 

Catedral do ícone da mãe de Deus de Kazan (Казанский собор иконы Божьей Матери)

deus de kazan

 

Catedral de São Basílio (Собор Василия Блаженного)

catedral 1

A catedral foi construída por ordem do Ivan “Terrível” (Ивана Грозного). Há uma lenda que imediatamente após a construção do templo, Ivan Terrível ordenou que fossem arrancados  os olhos de todos os trabalhadores. Por que? O rei temia que eles pudessem construir outro templo mais bonito do que a catedral de São Basílio.

catedral 2

Dentro do templo tem muito pouco espaço.

catedral 3

 

Torre Spasskaya (Спасская башня)

spasskaya 1

A Torre Spasskaya é a maior torre do Kremlin. No ano novo, o Presidente cumprimenta a todos, um pouco antes da meia noite, em todos os principais canais de televisão do país; e logo após, na virada do ano, mostram o relógio na torre Spassky dando doze badaladas.

spasskaya 2

Todos os russos associam a chegada do ano novo com as badaladas do relógio de carrilhão na Torre Spasskaya na hora da virada do ano.

spasskaya 3

 

Kremlin (Кремль)

Atrás das paredes de tijolo na Praça Vermelha está o Kremlin, onde acontecem alguns reuniões do presidente Putin . Às vezes ele pode dar uma volta de helicóptero a cima do Kremlin.

kremlin

 

Mausoléu (Мавзолей)

mausoleu 1

Ao contrário de Putin, o líder dos trabalhadores da URSS Lenin, nunca deixou a Praça Vermelha. O corpo dele é armazenado no mausoléu deste 1924.

mausoleu 2

A cada um ano e meio fecha-se o mausoléu para a prevenção. Os cientistas realizam restauração do corpo de Lenin, e trocam  a solução de balsâmico.

 

E aí, gostou de conhecer um pouco de Moscou? Gostou da Praça Vermelha? 🙂

 

praca 3

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Andrei Tarasov
Andrei Tarasov

Nasceu em 1989 na cidade de Izhevsk, Rússia. Desde os 17 anos trabalhou no jornal local de sua cidade e aos 19 anos mudou-se para viver em Moscou, e passou 6 anos na televisão trabalhando como repórter e redator. Mora no Rio de Janeiro desde 2014. Ama aviões, gatos, e claro, jornalismo.