Símbolos do movimento comunista

Entre nossos alunos tem muita gente que estão fazendo Curso de Russo porque estão gostando dos assuntos da época da União Soviética. Vamos falar um pouco dos símbolos do movimento comunista.

Martelo e foice (cерп и молот – syerp i mólat)

A foice e o martelo são símbolos do bolchevismo, o principal emblema do estado soviético. O martelo e a foice cruzados simbolizam a unidade dos trabalhadores e camponeses em seu trabalho. O símbolo entrou no emblema da RSFSR em 1918. Inicialmente, além do martelo e da foice deveria entrar a espada, mas Lenin recusou a usá-la, dizendo que a União Soviética não vai viver em guerras.

Bandeira vermelha (красное знамя – krásnaye známya)

Bandeira da União Soviética, 1924 - 1991

Bandeira da União Soviética, 1924 – 1991

A cor vermelha na interpretação dos bolcheviques é a cor do sangue derramado pelas trabalhadores na luta contra os exploradores. A história da bandeira vermelha remonta à Idade Média (século VIII C E “Rebelião das Bandeiras Vermelhas” em Gorgan, Irã, anos 778-779). Em 1792, a bandeira vermelha foi erguida em Paris durante a rebelião anti-monarquista. Ela se tornou o símbolo do movimento moderno dos trabalhadores (o símbolo do sangue derramado por povo) após do rebelião em Paris em 1832. A bandeira vermelha revolucionária foi consagrado legislativamente como estatal, bem como a bandeira militar, pela Constituição da Federação da Rússia em julho de 1918, embora que de facto já apresentou estas funções de acordo com o decreto do Comité Executivo Central da Rússia (ВЦИК) a partir do dia 14 de abril 1918.

Estrela Vermelha (красная звезда – krásnaya zvyezdá)

Símbolo - Rot Front!

Símbolo – Rot Front!

A estrela vermelha de cinco pontas (uma pentagrama sem o pentágono interior) é mais um símbolo do comunismo. O mais famoso significado do símbolo são cinco continentes da Terra, bem como os cinco dedos do trabalhador. A interpretação menos conhecida são cinco grupos sociais que levam a nação ao comunismo: a juventude (gerações futuras), o exército (defesa do socialismo), os trabalhadores industriais (produção de bens de consumo), os trabalhadores agrícolas (produção de alimentos) e intelectuais (criticam e melhoram a teoria e a prática de vida para alcançar o comunismo).

De acordo com o escritor de fição científica e ensaísta A. Lazarevicha, a aparência deste símbolo foi muito influenciado pelo romance-utopia do Alexander Bogdanov “Estrela Vermelha” em que o autor descreve uma sociedade comunista que existe em um planeta próximo Marche. A estrela vermelha tornou-se para os comunistas um símbolo de uma civilização com desenvolvimento alto científica e tecnológica.

Selo da USSR de 1964

Selo da URSS em 1964

“Trabalhadores do mundo, uni-vos!” (Пролетарии всех стран, соединяйтесь! – pralyetárii fsyeh stran sayedinyáytyesy)

Um dos mais famosos slogans socialistas. Foi expressa pela primeira vez por Karl Marx e Friedrich Engels no “Manifesto Comunista”.

“A Internacional” (Интернационал – internatsêanál)

O hino do proletariado internacional, o hino dos partidos comunistas, socialistas e anarquistas. O autor das letras é o anarquista francês Eugene Pottier, o autor da música contemporânea é Pierre Degeyter. Foi traduzido para idioma russo em 1902 por A. Kotz.

“Rot Front!” (Рот фронт – pot front)

É o cumprimento internacional dos antifascistas: a mão direita está erguida semi dobrada ou estendida com o punho cerrado.

Estes símbolos estão proibidos nos seguintes países: Letônia, Lituânia, Polônia, Estônia, Hungria (1993 – 2013), a República Checa, Geórgia, Moldávia (2012 – 2013).

 

 

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Snizhana Maznova
Snizhana Maznova

Estou no Brasil a partir de 2006 e sinceramente posso dizer que adoro esse país com sua cultura tão rica e povo tão simpático. Meu pai é russo e minha mãe ucraniana com raízes da Polônia e Grécia. Até terminar época soviética vivi viajando entre Rússia e Ucrânia e considero os dois países como minha pátria. Além ministrar cursos de idiomas, trabalho como tradutora de russo e ucraniano. Atuo também como intérprete em reuniões entre brasileiros e pessoas da Rússia e Ucrânia, na área turística e viagens de negócio, e assistência para estrangeiros na abertura de empresa no Brasil e pesquisa no mercado etc.

  • Henrique Ferreira

    gosto da Russia mas não gosto de comunismo.