1 de setembro – Dia do Conhecimento

alunos-na-russia O 1° de setembro é chamado o Dia do Conhecimento. É uma festa que ocorre anualmente no dia 1° de setembro na Rússia e nos países do antigo bloco soviético e marca o início do ano letivo.

Encontrando-se no hemisfério norte, as estações do ano na Rússia são invertidas. Deste modo, quando é o verão no Brasil, na Rússia e em toda a Europa está o inverno, por tanto o ano letivo acorre entre os meses setembro e maio. Desde o ano 1930 virou uma tradição em todo bloco soviético de começar as aulas nas escolas e faculdades no dia 1° de setembro, data que foi oficialmente decretada comemorativa em 1980.
Embora de forma mais modesta, o dia 1° de setembro é comemorado em todas as instituições de ensino, como faculdades, universidades e escolas técnicas.

escola-na-rússiaNas escolas, ou seja do primeiro a segundo grão, o Dia do Conhecimento é marcado por um mar de flo
res, de fitas brancas e a tradicional Lição da Paz. É o dia mais aguardado para crianças de sete anos que
entram na escola. Elas e os estudantes de último ano são as principais estrelas da festa. Também é um dia comemorativo de professores para os quais os alunos trazem flores e parabenizam pelo início do ano letivo.

Tradicionalmente o dia começa com uma comemoração solene, discurso do diretor e alguns professores que dão boas vindas para todos e parabenizam pelo início do ano letivo. Com grande atenção são recebidos os alunos que entram na primeira série.

Um dos momentos mais simpáticos da festa é quando um estudante do último ano carrega no ombro uma menina do primeiro ano que toca um sino para marcar o primeiro dia na escola.

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Anastassia Bytsenko
Anastassia Bytsenko

Professora do Clube Eslavo. Concluiu pós-graduação no Departamento de Literatura e Cultura Russa da Universidade de São Paulo. Defendeu a tese de doutorado “Lev Tolstói e o Teatro: Texto e Contexto de O Cadáver Vivo” na mesma universidade. Ministra aulas de língua e literatura russa, oferece vários cursos e palestras. Realizou traduções de obras de literatura e ensaística da língua russa para o português (por exemplo: FLORIÉNSKI, P. A Perspectiva Inversa. Editora 34, 2012; TARKÓVSKI, A.A. O Sacrifício. É Realizações, 2012; TOLSTÓI, L.N. Sobre Shakespeare e o teatro. Companhia das Letras, 2011; ZINGUERMAN, B. As Inestimáveis lições de Stanislávski; In: TEATRO RUSSO: Literatura e Espetáculo. Ateliê Editorial, 2011, etc.)