Ano Novo na Rússia

Comemoração do Ano Novo na Rússia Pagã

Comemoração do Ano Novo na Rússia PagãNão sabemos bem ao certo como era comemorado o Ano Novo na Rússia Antiga pagã devida a controvérsia em algumas versões históricas, por isso não temos uma data exata de quando se iniciaram essas comemorações.

Entre o povo antigo o ano novo geralmente coincidia com o início do renascimento da natureza (primavera), e por isso acontecia no mês de março. Na Rússia, houve um longo período que a partir de março que se chamava o período de “entre anos” e durava três meses e se iniciava em março. Essa homenagem mais tarde mudou-se para comemoração do ano novo.  E inicialmente o Ano Novo na Rússia foi celebrado no equinócio vernal no dia 22 de março, no mesmo dia comemoravam o Dia de Maslyanitsa (festa de final do inverno) e o Ano Novo.

Comemoração do ano novo após do batismo da Rus Kievana

Comemoração do ano novo após do batismo da Rus KievanaJunto com o cristianismo na Rus (988 – Batismo da Rus) surgiu uma nova era – Calendário Juliano – com os nomes fixos dos meses. O início do ano novo foi considerado dia 01 de março. De acordo com uma versão no final do século XV, e na outra em 1348 a Igreja Ortodoxa deslocou o início do ano para dia 01 de setembro que correspondem às definições do Concílio de Nicéia. Fortalecimento da Ortodoxia em Medieval Rus, estabelecimento do cristianismo como uma ideologia religiosa, claro, que provoca o uso de “escritura sagrada” como a fonte das reformas introduzidas no calendário existente. A reforma do calendário foi realizada na Rússia sem contar a vida de trabalho das pessoas, sem comunicação com o trabalho agrícola. Ano Novo em setembro foi aprovado pela igreja em acordo com “escritura sagrada”.  Assim, o ano novo começava a partir do dia  primeiro de setembro. Este dia tornou-se o feriado do Simeão (праздник Симеона первого столпника), que a igreja ortodoxa comemora até hoje e ele é conhecido popularmente como Simeão “que despede ano”, porque neste dia terminava o verão e começava o ano novo.

Inovações de Pedro I  na celebração do Ano Novo

Pedro I (imperador russo) após a viagem para exterior conheceu os costumes europeus do Ano Novo, e em 7208 havia estabelecido o início do ano no dia 01 de janeiro e declarou começar a contar os anos a partir do “nascimento de Jesus”, a partir de 01 de janeiro de 1700. Além disso, o decreto do rei declarou:

“Nas ruas nobres e avenidas, do lado dos portões das casas montar algumas decorações de árvores e ramos de pinheiro, cipreste, zimbro, e dar tiros para alto das armas pequenas e fuzis, e lançar fogos de artifícios. O povo pobre precisa pelo menos uma árvore ou ramo colocar no portão.”

Celebração do Ano Novo com Pedro IIsto foi feito seguindo o exemplo de todos os povos cristãos, que não viveram de acordo com o Calendário Juliano, mas com o Calendário Gregoriano. Transferir a Rússia totalmente para o novo calendário gregoriano, o Pedro não podia, pois a Igreja vivia de acordo com Calendário Juliano. No entanto, o rei da Rússia mudou a conta dos anos. Se anteriormente os anos foram contados a partir da criação do mundo, agora começaram ser contados a partir do nascimento do Cristo.  Note-se que esta nova contagem dos anos por muito tempo existia junto com a antiga contagem – de acordo com o decreto de 1699 foi permitido escrever nos documentos as duas datas – a partir da criação do mundo e do nascimento de Cristo.

O rei constantemente monitorava para que festa de Ano Novo não fosse pior ou mais pobre do que nos outros países europeus. Inicialmente, quaisquer árvores foram decoradas com nozes, doces, frutas e até legumes, decorar pinheiros começou muito mais tarde, a partir de meados do século XIX.

O primeiro dia do Ano Novo em 1700 começou com um desfile na Praça Vermelha em Moscou. E na noite o céu foi iluminado com as luzes dos fogos de artifício. Foi a partir de dia 1 de janeiro de 1700 que a comemoração e a festa divertida do Ano foram reconhecidas e a celebração do Ano Novo ganhou a natureza social (e não religiosa). Em um sinal do feriado popular foram disparados de armas, e à noite, no céu escuro passavam os fogos de artifício coloridos que ninguém viu antes. O povo estava se divertindo, cantando, dançando, congratulando-se e deram um para outro os presentes do Ano Novo.

Alteração do calendário na época soviética

Após a Revolução em Outubro de 1917, o governo levantou a questão da reforma do calendário, porque a maioria dos países europeus há muito tempo usavam o calendário Gregoriano, aprovado pelo Papa Gregório XIII ainda em 1582, enquanto a Rússia ainda vivia com o calendário Juliano.

No dia 24 de janeiro de 1918 o Conselho dos Comissários do Povo emitiu o “Decreto de aprovação na República Russa o calendário da Europa Ocidental.” O documento assinado por Lênin foi publicado no dia seguinte e entrou em vigor no dia 1 de fevereiro de 1918. Em uma parte foi dito: “… O primeiro dia após o dia 31 de janeiro deste ano é assumido não como dia primeiro de fevereiro, mas como dia 14 de fevereiro, o segundo dia assumir como dia 15, etc”. Assim, o Natal russo foi deslocado do dia 25 dezembro para o dia 7 janeiro, e foi também deslocado a celebração de Ano Novo.

Alteração do calendário na época soviéticaImediatamente surgiram contradições com feriados ortodoxos, afinal de contas, alterando as datas de celebrações civis, o governo não tocou as celebrações da igreja, e os cristãos continuaram a viver de acordo com o calendário Juliano. Agora, o Natal não é celebrado antes, mas depois do Ano Novo. Mas isso não causava nenhum constrangimento ao novo governo. Pelo contrário, estava vantajosa a destruição das fundações da cultura cristã. As novas autoridades introduziram suas próprias novas celebrações socialistas.

Em 1929, houve um cancelamento do Natal. Junto com isso foi cancelado também o árvore de Natal, que foi chamado de “costume do padre”. Foi cancelada a celebração do Ano Novo. No entanto, no final de 1935 no jornal Pravda (Verdade) foi publicado um artigo do Pavel Petrovich Postysheva “Vamos nos organizar para o novo ano uma boa árvore para as crianças!”. O povo que ainda não esqueceu beleza da celebração, reagiu com rapidez – nas lojas apareceram as árvores de Natal e decorações. Os pioneiros e o povo de Komsomol assumiram a liderança na organização e realização das árvores de Natal nas escolas, orfanatos e clubes. No dia 31 de dezembro de 1935 a árvore de Natal entrou nas casa de nossos conterrâneos novamente e se tornou uma celebração de ” uma infância alegre e feliz no nosso país”, uma celebração de Ano Novo maravilhosa, que continua a alegrar hoje também.
Em 1949 dia 01 de janeiro se tornou um feriado.

Ano Novo Antigo da Rússia

Eu gostaria de voltar novamente para assunto da alteração do calendário e explicar o fato do Ano Novo Antigo na Rússia.

O próprio nome da festa aponta para sua relação com o calendário do estilo antigo com qual a Rússia viveu até 1918, e mudou-se para um novo estilo com o decreto do Lênin. O estilo chamado antigo é um calendário, que entrou em vigor ainda pelo imperador romano Júlio César (calendário Juliano). O estilo novo é a reforma do calendário Juliano, lançada por iniciativa do Papa Gregório XIII (Gregoriano, ou novo estilo). O calendário Juliano, em termos de astronomia, não foi exato e tinha um erro que se acumulava durante anos, e como resultado foi derramado em um desvio sério do calendário do movimento verdadeiro do sol. Portanto, a reforma Gregoriana, em certa medida era necessária.

A diferença entre o estilo antigo e o novo no século XX já estava a mais de 13 dias! Assim, o dia que em acordo com estilo antigo era 01 de janeiro em novo calendário se tornou dia 14 de janeiro. E a noite moderna de 13 a 14 de Janeiro, na época pré-revolucionária era noite do Ano Novo. Assim, comemorando o Ano Novo Antigo, parece que estamos ligados à história e realizamos um tributo ao tempo.

Véspera de Ano Novo na Igreja Ortodoxa

É surpreendente, mas a Igreja Ortodoxa vive pelo calendário Juliano. Em 1923, por iniciativa do Patriarca Ecumênico de Constantinopla aconteceu uma reunião das Igrejas Ortodoxas, onde foi decidido a corrigir o calendário Juliano. A Igreja Ortodoxa Russa, devido a circunstâncias históricas, não poderia participar.

Sabendo sobre a reunião em Constantinopla, o Patriarca Tikhon ainda emitiu uma decisão de mudar para o calendário “Novo Juliano”. Mas isso provocou protestos e desordem entre povo da igreja. Portanto, a decisão foi cancelada em menos de um mês.

A Igreja Ortodoxa Russa afirma que agora não tem a questão sobre alteração do calendário para o estilo Gregoriano. “Bem grande maioria dos fiéis são comprometidos em manter o calendário existente. O calendário Juliano é caro para as pessoas da nossa igreja e é uma das características culturais da nossa vida.” – Disse o secretário do Departamento de Relações Externas da Igreja o Arcipreste Nikolai Balashov.

Ano Novo na Rússia

Ano Novo Ortodoxo é comemorado no dia 14 de janeiro em acordo com calendário moderno, ou dia 01 de janeiro no calendário Juliano. Em homenagem ao Ano Novo Ortodoxo nas igrejas fazem orações para ano novo.
Havia algumas crendices populares ligados com a celebração do Ano Novo, por exemplo:

  • não faça o trabalho pesado e sujo – caso contrário o ano inteiro terá muito trabalho duro e sem descanso
  • não devolva dívida durante celebração – o ano inteiro irá pagar
  • se moça encontra um grão de cereal no dia 31 de dezembro – quer dizer que irá casar

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Snizhana Maznova
Snizhana Maznova

Estou no Brasil a partir de 2006 e sinceramente posso dizer que adoro esse país com sua cultura tão rica e povo tão simpático. Meu pai é russo e minha mãe ucraniana com raízes da Polônia e Grécia. Até terminar época soviética vivi viajando entre Rússia e Ucrânia e considero os dois países como minha pátria. Além ministrar cursos de idiomas, trabalho como tradutora de russo e ucraniano. Atuo também como intérprete em reuniões entre brasileiros e pessoas da Rússia e Ucrânia, na área turística e viagens de negócio, e assistência para estrangeiros na abertura de empresa no Brasil e pesquisa no mercado etc.

  • ILDAMARIA

    MUITO BOM…APRENDI GOSTEI

  • Cláudia Alves

    Agradeço as informações e congratulo o site pela iniciativa.

    • Obrigada Cláudia. Sempre bem vinda.

      • Tatiana Douchkin

        Feliz Ano Novo, Snizhana Maznova! Sou bibliotecária e filha de russo e mãe brasileira. É ótimo que você goste de estar no Brasil. Desejo-lhe muitas alegrias e permanente felicidade a todos que lhe são caros.

        • Muito obrigada Tatiana. Feliz Ano Novo para você também! Que sua família seja com saúde e alegria em 2015!