Os sofrimentos e as liberdades de Dostoievski

Fiódor DostoiévskiFigura de extrema importância na literatura mundial, o escritor Fiódor Mikhailovich Dostoiévski (Фёдор Миха́йлович Достое́вский) foi um autor que como poucos, conseguiu desvendar os mistérios da consciência de culpa do homem. Interessado primeiramente no homem e sua finalidade, Dostoievski procurou descrever em seus inúmeros trabalhos desvendar as consequências ocultas de nossos atos e os motivos pelos quais o cometemos.

Fundamentando seus textos em um profundo autoexame da consciência, o que é possível notar em inúmeros personagens, Dostoievski está interessado no espírito humano, na consciência do homem e por fim, em seu subconsciente mesmo. Notamos esta característica em inúmeros textos: Sonho de um homem rídiculo, Memórias do subsolo e Crime e castigo. Nestas obras, seus personagens passam por vários sofrimentos, constrangimentos, mas tentam acertar as contas consigo mesmo. Para isso, a figura de Cristo desempenha um papel fundamental.

A busca pela verdade e o conceito de liberdade

Sendo um autor profundamente cristão, os personagens de Dostoievski tentam, antes de tudo, acertar as contas com Cristo e não com os homens. Por isso que a maior parte de seus personagens sofre na busca da verdade, que é Cristo.

Nesta busca incessante de acerto de contas com o Senhor, Dostoievski nos apresenta um outro elemento importante em seus textos: a liberdade.

Crime-e-Castigo-DostoiévskiHá dois tipos de liberdade que podemos notar nas obras do escritor. Primeiro, a liberdade chamada de liberdade menor, que é representada pela liberdade dos homens e segundo a liberdade superior, que é representada como a liberdade religiosa, ou seja, a liberdade em Deus. Dostoievski está interessado na segunda, isto porque a liberdade humana é representada como a liberdade em pecado, que para o escritor se constitui como um desequilíbrio, na qual seus personagens sofrem com os pecados humanos cometidos, como é o caso de Rodion Raskolnikov, protagonista de Crime e Castigo.

Ao escolher a liberdade em Cristo, Dostoievski escolhe a liberdade em Deus, que é essencialmente o seio do bem.

Outra característica interessante em seus personagens é o constante sofrimento pelo qual estes passam. Este sofrimento é constituído por um profundo diálogo interior e consciência de culpas, que é o marco essencial de seus protagonistas. Ao passo que para o homem se arrepender de seus pecados, é necessário, antes de tudo, sinceridade de culpa e arrependimento.

Com este estilo, que muita gente chama de romance de idéias, isto porque, a partir destas análises profundas e interiores, se transformou em um dos maiores escritores que a Rússia já teve.

Dostoievski soube como poucos, analisar detalhadamente os mistérios que envolvem a consciência do homem.


marco-aurelio-menorEste artigo foi escrito pelo Marco Aurélio de Passos Rodrigues.
Pedagogo, Filósofo e Mestrando em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Seu tema de pesquisa é A relação entre ideologia e linguagem na obra de Mikhail Bakhtin.


Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Snizhana Maznova
Snizhana Maznova

Estou no Brasil a partir de 2006 e sinceramente posso dizer que adoro esse país com sua cultura tão rica e povo tão simpático. Meu pai é russo e minha mãe ucraniana com raízes da Polônia e Grécia. Até terminar época soviética vivi viajando entre Rússia e Ucrânia e considero os dois países como minha pátria. Além ministrar cursos de idiomas, trabalho como tradutora de russo e ucraniano. Atuo também como intérprete em reuniões entre brasileiros e pessoas da Rússia e Ucrânia, na área turística e viagens de negócio, e assistência para estrangeiros na abertura de empresa no Brasil e pesquisa no mercado etc.