Os russos bebem vodka no supermercado

Os americanos bebem cerveja e só em casa. Os habitantes da Britânia consomem quaisquer bebidas alcoólicas e o importante é fazer isto não na empresa. Os espanhóis depois do trabalho, vão para os bares com um copo de vinho ou várias canecas de cerveja. A maioria dos brasileiros gosta da cerveja e a toma no final da semana  em casa, no lanchonete ou barzinho.

E você já sabe que os russos adoram vodka. Mas por que eles bebem álcool no supermercado?…
vodka
Por cerca de quatro anos, existe uma nova “tradição” na Rússia de beber álcool diretamente no supermercado. A razão é a lei que foi aprovada no ano de 2010. A venda de álcool está proibida após das 10 horas da noite. Aqueles russos que já não podem viver sem álcool encontraram uma maneira como burlar a lei. Eles bebem vodka no meio das prateleiras e vão à caixa com meia garrafa. Os vendedores não têm muitas opções neste caso. Ou eles assumem o dano ou vendem álcool à noite, violando a lei.
Pela primeira vez o governo da Rússia tentou restringir a venda de álcool no ano de 1914 devido ao início da Primeira guerra mundial. A guerra terminou, mas a proibição permaneceu em vigor por mais quatro anos. Foi cancelada apenas no ano de 1923. Por nove anos na Rússia aumentou a natalidade, a média da duração de vida, e triplicou o número de depósitos em bancos. O governo gostou disso e na União Soviética foi realizado várias campanhas anti-álcool em períodos diferentes.
Até hoje, está proibido vender bebidas alcoólicas até na véspera do Ano Novo. Mas pode imaginar que esta é a única noite do ano, em que muitas lojas estão violando a lei.

Se você gostou deste artigo e gostaria de aprender mais sobre a cultura russa e seu idioma, você pode fazer nosso curso de russo

Andrei Tarasov
Andrei Tarasov

Nasceu em 1989 na cidade de Izhevsk, Rússia. Desde os 17 anos trabalhou no jornal local de sua cidade e aos 19 anos mudou-se para viver em Moscou, e passou 6 anos na televisão trabalhando como repórter e redator. Mora no Rio de Janeiro desde 2014. Ama aviões, gatos, e claro, jornalismo.